Rapariga de 16 anos abandona a família para casar-se

Rapariga de 16 anos abandona a família para casar-se

Com somente 16 anos de idade, Ana Paulo, contrariou os conselhos de seus pais e familiares, e decidiu casar com o seu namorado. Esta é a sua história.

Claudio Fauvrelle
Partilhar

Milange, Zambézia – Com somente 16 anos de idade, Ana Paulo, contrariou os conselhos de seus pais e familiares, e decidiu casar com o seu namorado. Esta é a sua história.

“Logo após nascer a minha primeira filha tive de desistir de estudar. O meu marido também foi obrigado a desistir de estudar algum tempo depois, e passamos a viver com o apoio dos meus sogros,” disse Ana.

Após o nascimento do seu terceiro filho, o marido de Ana mudou de comportamento, e o divórcio foi inevitável. Ana encontrou-se sozinha com três crianças para cuidar e sem nenhuma ajuda.

“Fiquei muito triste. Vi amigos e antigos colegas que já concluíram o nível médio e alguns já trabalham. Fiquei muito arrependida por ter casado cedo em vez de estudar,” disse Ana visivelmente arrependida.

Um certo dia Ana assistiu a uma peça de teatro do grupo teatral Arcumi, que falava sobre um caso idêntico ao seu. Devido a abordagem participativa e interactiva da peça de teatro, Ana naquele momento sentiu que a peça era sobre a sua vida. Após assistir a peça Ana decidiu pedir ajuda aos seus pais para continuar os seus estudos.

“Pensei no futuro dos meus filhos. Arrependida da minha decisão de casar ainda criança, ganhei coragem e fui pedir ajuda aos meus pais, que aceitaram ajudar-me nos meus estudos,” disse Ana, hoje com 25 anos de idade.

O programa de teatro comunitário é uma estratégia-chave da comunicação para o desenvolvimento

“Cara amiga e amigo, casar cedo não é bom, estuda primeiro porque o casamento prematuro não acaba. Aprendam com a minha história, vamos todos gritar casamento prematuro não,” concluiu Ana.

O programa de teatro comunitário é uma estratégia-chave da comunicação para o desenvolvimento. O UNICEF apoia esta estratégia que chega às comunidades rurais e urbanas, com informação e conhecimento em muitas questões sociais e de saúde. O teatro comunitário transforma questões sociais em uma peça teatral e usa uma abordagem participativa e interactiva onde o público é convidado a participar em pontos críticos de decisão. Os grupos de teatro actuam na rua, em escolas e outros locais públicos em todo o país, ajudando muita gente tal como a Ana.


Para mais informações, favor contactar:

Gabriel Pereira
Tel + 258 21481181
email: maputo@unicef.org

Subscrever ao boletim

Teatro Comunitário ajuda na luta contra o Casamento Prematuro

Doar

As crianças de Moçambique precisam da sua ajuda. Chegou a sua vez de ajudar. Faça uma doação.

PARTILHAR

Partilha esta informação com teu amigos e familiares, e vamos ajudar mais pessoas a ficarem juntos pelas crianças de Moçambique.

NOSSO TRABALHO

Aprenda mais sobre o trabalho do UNICEF em Moçambique.