Prémio de Saúde estimula os jornalistas a interessarem-se pela área da saúde

Prémio de Saúde estimula os jornalistas a interessarem-se pela área da saúde

O Prémio de Saúde para jornalistas, iniciativa do Ministério da Saúde e do Sindicato Nacional de Jornalistas (SNJ), tem o apoio técnico e financeiro da Organização Mundial da Saúde (OMS), do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA).

Claudio Fauvrelle
Partilhar

Maputo – Sete moçambicanos profissionais de comunicação social (Imprensa escrita, Rádio, Televisão e Fotojornalismo), destacaram-se, na passada 6ª Feira (23 de Junho), na XVIII edição do Prémio de Saúde para Jornalistas 2016, oferecido pelo Ministério da Saúde.

O Prémio de Saúde para jornalistas, iniciativa do Ministério da Saúde e do Sindicato Nacional de Jornalistas (SNJ), tem o apoio técnico e financeiro da Organização Mundial da Saúde (OMS), do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA).

O jornalista Brito Simango da Televisão de Moçambique foi simultaneamente o vencedor do Grande Prémio de Jornalismo em Saúde e do 1º prémio de Televisão com uma reportagem intitulada “Fístulas Obstétricas”. O Grande Prémio de Jornalismo em Saúde premeia a excelência na abordagem de um tema sobre a saúde pública.   

Na categoria de Imprensa escrita, Evelina Violeta Muchanga, do Jornal Notícias, classificou-se em primeiro lugar com o trabalho “Aleitamento Materno – O desafio pela saúde do bebé e da mãe” e a  Anabela Massingue também do matutino Notícias foi a vencedora do 2º prémio com um trabalho intitulado “Cirurgia à Catarata”.

Em relação à Rádio, o 1º prémio foi para Horácio Romão, da Rádio Moçambique em Inhambane, com uma reportagem radiofónica com o título “Maternidade Modelo”. O 2º prémio para Rádio coube ao jornalista Lote Sigaúque da Rádio Índico com um trabalho intitulado “Desnutrição Crónica”.

José Aurélio Macamo, da Televisão Miramar com uma grande reportagem sobre o Hospital Psiquiátrico do Infulene ficou com o 2º prémio de Televisão.

Em relação ao Fotojornalismo o júri atribuiu o 1º prémio ao trabalho de Fotografia com o título “ Bula -Bula” da autoria de Inácio Pereira, do semanário Domingo.

O Premio de Saúde para jornalistas tem como objectivo estimular os jornalistas a interessarem-se também pela área da saúde e consequentemente a publicarem trabalhos sobre a Saúde Pública.

Os prémios variam de 2.500 a 1.500 dólares norte- americanos, sendo 2.500 dólares para o Grande Prémio de Jornalismo em Saúde; 2.000 para o 1º classificado e 1.500 para o segundo 2º premiado.

Falando na cerimónia depois da divulgação dos resultados deste prémio a Ministra da Saúde, Dra. Nazira Abdula, agradeceu à Comunicação Social pelo trabalho que tem feito sobre a saúde, tendo na ocasião manifestado a abertura em colaborar sempre com os Órgãos de Comunicação Social com vista a conferir formas inovadoras de fazer com que as mensagens cheguem às populações. 

Em nome das Nações Unidas, a Representante da OMS em Moçambique, Dra. Djamila Cabral, disse que a Comunicação Social é parceira ideal e tem um papel crucial na tradução dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 2030, numa linguagem simples e clara para que todos os intervenientes tenham o mesmo entendimento.

 O Secretário-Geral do Sindicato Nacional de Jornalistas (SNJ), Senhor Eduardo Constantino, mostrou-se bastante satisfeito pela pertinência dos temas submetidos ao concurso. Ele exortou, uma vez mais, aos jornalistas para que participem neste concurso e que também informem aos seus colegas para participarem nas futuras competições.

Para além da Ministra da Saúde, da Representante da OMS em Moçambique e do Secretário-Geral do SNJ, participaram na divulgação do Prémio de Saúde para Jornalistas 2016, Directores Nacionais e Directores Nacionais Adjuntos, quadros seniores do Ministério da Saúde, membros do júri, técnicos das Nações Unidas, jornalistas de vários órgãos de informação e parceiros.



Para mais informações, favor contactar:

Claudio Fauvrelle
Tel +258 21 481 100
email: cfauvrelle@unicef.org

Subscrever ao boletim

saúde

Doar

As crianças de Moçambique precisam da sua ajuda. Chegou a sua vez de ajudar. Faça uma doação.

PARTILHAR

Partilha esta informação com teu amigos e familiares, e vamos ajudar mais pessoas a ficarem juntos pelas crianças de Moçambique.

NOSSO TRABALHO

Aprenda mais sobre o trabalho do UNICEF em Moçambique.