Duzentos escritores de renome mundial se unem em prol dos direitos das crianças

Duzentos escritores de renome mundial se unem em prol dos direitos das crianças

Chimamanda Adichie, Paulo Coelho, Christina Lamb e Nuruddin Farah se unem a outros escritores de todo o mundo para escrever “Pequenas histórias” nas quais destacam o mundo que desejam para todas as crianças.

Claudio Fauvrelle
Partilhar

NOVA IORQUE – Mais de 200 prominentes escritores, entre eles novelistas, dramaturgos e poetas, uniram-se esta semana a uma campanha literária mundial, e escreveram “pequenas histórias” de sete linhas cada uma para pôr em destaque o Dia Universal da Criança e a injustiça que muitas das crianças mais pobres e mais desfavorecidas do mundo ainda têm de enfrentar. A série de contos inicia a comemoração dos 70 anos do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) no seu trabalho para ajudar e dar esperança a todas as crianças.

Alguns dos escritores mais célebres do mundo partilharam as curtas histórias com os seus seguidores nas redes sociais. A Primeira-dama da Finlândia, Jenni Elina Haukio, idealizou o conceito, que ganhou impulso mundial quando se uniram à iniciativa escritores da Ásia, África, América Latina, Europa, Médio Oriente e Austrália.

“Como escritores, podemos promover causas mediante a simplicidade da narrativa. Com esta campanha digna e necessária advogamos pela protecção dos direitos das crianças em todo o mundo”, disse a célebre autora Nigeriana Chimamanda Adichie.

O grupo de escritores, cujos géneros abarcam desde os contos de fadas até à ficção, inclui uma das autoras publicadas mais jovem do mundo, Michelle Nkamankeng, de 7 anos, da África do Sul. Escritas em mais de 10 línguas e com diferentes estilos, todas as histórias ilustram a negligência que ainda sofrem os direitos de muitas crianças.

 campanha chega num momento em que há crescentes ameaças contras os direitos das crianças. Mais de 50 milhões de crianças tiveram que fugir de seus lares devido a conflitos, à pobreza e mudanças climáticas, e outras milhões enfrentam violências indescritíveis nas suas comunidades. Cerca de 263 milhões de crianças não vão à escola e, no ano passado, quase 6 milhões de menores de cinco anos morreram devido a doenças que na sua maioria poder-se-iam evitar.

“É chocante ver que as vidas de muitas crianças sofrem ainda o impacto dos horrores de conflitos, da desigualdade, da pobreza e da discriminação. Espero que estas pequenas histórias possam recordar ao mundo que devemos manter o nosso compromisso com todas essas crianças, cujas vidas e futuro estão em jogo”, disse Paloma Escudero, porta-voz do UNICEF.

Esta série iniciou-se hoje (14 de Novembro), e durará até ao dia 20 de Novembro, aniversário da aprovação da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança, com a publicação da “Pequena história” de Chimamanda Adichie.

De Moçambique contamos com a participação de Fátima Langa, Marcelo Panguana, Paulina Chiziane, Sónia Sultuane e Stewart Sukuma, entre outros autores.



Para mais informações, favor contactar:

Claudio Fauvrelle
Tel +258 21 481 100
email: cfauvrelle@unicef.org

Subscrever ao boletim

Dia Universal da Criança

Doar

As crianças de Moçambique precisam da sua ajuda. Chegou a sua vez de ajudar. Faça uma doação.

PARTILHAR

Partilha esta informação com teu amigos e familiares, e vamos ajudar mais pessoas a ficarem juntos pelas crianças de Moçambique.

NOSSO TRABALHO

Aprenda mais sobre o trabalho do UNICEF em Moçambique.