Alegria por ter a minha neta e as crianças da minha comunidade vacinadas contra a pólio

Alegria por ter a minha neta e as crianças da minha comunidade vacinadas contra a pólio

Liston Malamulo é líder da comunidade de Marrega, localidade de Sabelua, no distrito de Milange, na província de Zambézia. Liston, no seu papel de líder comunitário, participou activamente no processo de selecção de candidatos para vacinadores e mobilizadores comunitários e mobilizou a sua comunidade a vacinar suas crianças.

Claudio Fauvrelle
Partilhar
Um sorriso de alegria, por ter a minha neta e as crianças da minha comunidade estão vacinadas contra a pólio.
“Estou feliz pela minha neta Rita e outras crianças da minha comunidade estarem agora vacinadas contra a pólio” - Líder comunitário Liston Malamulo, da localidade de Sabelua (Zambézia). © UNICEF Moçambique/2017/Mario Lemos

Milange, Zambézia - “Estou feliz pela minha neta Rita e outras crianças da minha comunidade estarem agora vacinadas contra a pólio," disse Liston Malamulo com muita alegria.

Liston Malamulo é líder da comunidade de Marrega, localidade de Sabelua, no distrito de Milange, na província de Zambézia.

Liston, no seu papel de líder comunitário, participou activamente no processo de selecção de candidatos para vacinadores e mobilizadores comunitários. Para além de terem que residir e conhecer a comunidade era necessário que os candidatos para vacinadores fossem pessoas responsáveis pois "vacinar é uma responsabilidade muito grande," lembrou Liston.

“O meu papel como líder não terminou apenas na escolha dos candidatos mas principalmente na mobilização das famílias na comunidade para explicar que a vacinação é uma das formas de fazer com que as nossas crianças estejam protegidas da pólio. Medidas como a lavagem das mãos antes de comer ou usar a latrina, contruir latrinas na nossa comunidade podem ajudar a proteger da pólio e outras doenças como a cólera e as diarreias,” considerou Liston.

Em Fevereiro de 2017, por causa da chuva, alguns caminhos ficaram intransitáveis e algumas zonas inacessíveis, dai a razão de não se ter conseguido vacinar todas as crianças em Marrega durante a primeira ronda de vacinação.

“Ficamos felizes ao saber da existência de uma segunda ronda, pois desta forma mais crianças poderiam ser vacinas. Era uma oportunidade a não perder,” lembrou Liston.

O facto da segunda ronda de vacinação se realizar numa época em que a comunidade já ter realizado a colheita e comercialização do milho, ajudou que muitas das famílias pudessem estar presentes. “Devemos ter a preocupação de vacinar as nossas crianças. Esta é a mensagem principal que, como líderes, devemos passar para as nossas comunidades,” afirmou Liston Malamulo.

A cobertura da vacinação tem estado a aumentar de forma constante em Moçambique. Houve uma série de áreas chave de progresso na vacinação ao longo de 2016, incluindo a troca bem-sucedida da vacina contra a poliomielite tOPV pela vacina bOPV (a troca elimina o pequeno risco de poliomielite paralítica associada à vacina e de poliovírus circulante derivado da vacina). O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) desempenhou um papel importante na logística da distribuição de vacinas e contribuiu para a capacitação necessária para gerir a transição da vacina contra a poliomielite.

 

Para mais informações, favor contactar:

Claudio Fauvrelle
Tel +258 21 481 100
email: cfauvrelle@unicef.org

Subscrever ao boletim

VACINAÇÃO DA PÓLIO

Doar

As crianças de Moçambique precisam da sua ajuda. Chegou a sua vez de ajudar. Faça uma doação.

PARTILHAR

Partilha esta informação com teu amigos e familiares, e vamos ajudar mais pessoas a ficarem juntos pelas crianças de Moçambique.

NOSSO TRABALHO

Aprenda mais sobre o trabalho do UNICEF em Moçambique.